sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

SOU ESPECIAL #52SEMANASDEGRATIDÃO


(Paulinho, com 58 anos)

Olá! Eu sou o Paulinho. Tenho 59 anos. Meu aniversário será domingo 19 de fevereiro. Mas a minha festa de aniversário será no dia 18, na casa da minha prima, Eugênia. Tenho 07 irmãos. 2 irmãos morreram. E minhas irmãs não moram aqui. São casadas. Mas, eu tenho uma irmã que mora aqui. Eu morava com ela. Mas hoje, eu moro com minha madrinha e meu sobrinho.
(TEXTO FEITO POR ELE, COM PEQUENAS ADAPTAÇÕES).

O texto para essa semana fala da gratidão de ter um irmão especial. Ele vai fazer 60 anos. É mais velho que eu, 14 anos. (sou a "rapa do tacho").
Ele nasceu com problemas mentais. Segundo "os antigos" por consequência da consanguinidade de meus pais (primos). Mas eu, acho que ele teria que nascer dessa forma... (questões de vidas passadas).
Ele é muito inteligente. Mas foi menosprezados por meus pais e meus irmãos.
Não frequentou a APAE. Nunca teve acompanhamento psicológico. Ele era o "esquisito", "esquecido"... Talvez pela ignorância de meus pais em não saber lidar com a situação.
Se estivesse sido estimulado desde cedo, talvez fosse uma outra pessoa hoje em dia.
Atualmente, sei que ele tem um certo grau de Autismo. 
Porque ele gosta de tudo arrumado e odeia sair de sua "rotina".
Tem alguns "surtos" durante o ano. Principalmente por ocasião de seu aniversário! Fica muito agitado!
Ele toma remédios controlados.
Ele sempre foi meu "guarda-costas".
Poderia ter aprendido muitas coisas com ele, como de fato aprendi, depois de adulta. Quando ele gosta de uma pessoa, é de forma profunda e fiel.
Quase ninguém entende esse lado dele.
Depois que meus irmãos faleceram - julho de 2014 - ele mudou demais.
Ele era mais alegre, mais participativo. Agora está mais circunspecto.
A dor para ele é um abismo escuro, sem fim... Tem uma intensidade impressionante.
Em 1990, meu pai faleceu. Depois em 2009, foi a minha mãe. Por ele ser muito fechado, e apesar de saber que ele sentiu profundamente essas perdas; ninguém pôde de fato saber o que ocorreu porque não houve qualquer acompanhamento psicológico.
Quando muito um aumento de medicação ou troca de alguns remédios, feita pelo psiquiatra.
Paulinho sempre saía. Ia a missa todos os dias. Comprava pão e leite na padaria. Era muito ativo.
Depois dessas perdas e da agressão que ele sofreu na rua, meus irmãos mais velhos o "prenderam" em casa! Não deu certo. Ele se tornou violento. E fugia... todas as vezes que encontrava a porta destrancada.
Em 2014, quando perdemos nossos irmãos - faleceram com a diferença de 07 dias um do outro, o baque foi maior.
No primeiro irmão, foi no velório e no enterro. No segundo irmão; não deixei ele ir. Só soube do acontecido, depois que havia sido enterrado!
Não havia necessidade dele sofrer e ver o segundo irmão dentro do caixão... Se foi dolorido para nós... imaginem para ele!
Para ele dar um tempo em toda dor, contratei uma professora para entretê-lo. Deu certo por algum tempo. Ele adorava!

Ela, além de ser pedagoga, era minha amiga de muitos anos! Fizeram vários artesanatos juntos. Ela refrescou a memória dele com filmes, com músicas (ele adora cantar!), com continhas de matemática e pequenos textos de português... 

Mas então, ele surtou de tal modo que teve que se mudar para ficar mais calmo!
Eu como sua "cuidadora" não dei certo! A minha paciência e a minha dor extrapolaram... Não conseguia cuidar de mim direito e muito menos dele, como deveria ser...
Atualmente, ele mora com a minha tia - madrinha dele e meu filho.
Ficou mais calmo... Mas está ansioso demais pelo seu aniversário (todo ano tem festinha!). Sua idade mental é de uma criança de 10 anos!
As aulas de artesanato pararam. Teve que parar. Infelizmente.
Houve um episódio ruim... Meu cachorro o mordeu no nariz (uma agressão por outra!). Ele fez uma cirurgia que não deu certo, para reconstituição de uma das narinas...

Minhas lições foram muitas... mas o bom mesmo é poder agradecer. Agradecer a Deus por ter colocado em nossa família esse ser tão especial. De riso fácil... De uma simplicidade gritante... E de uma ingenuidade sem tamanho!































sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

AMOR PELA LEITURA # 52SEMANASDEGRATIDÃO

Essa semana eu vou começar a falar sobre uma pessoa que tenho imensa gratidão: meu pai! Ele me ensinou muitas coisas, a melhor delas, foi o amor pela leitura...
Eu leio de tudo. Tudo mesmo. Até bula de remédio! Amo livros. Mas ainda prefiro aqueles de papel... e ao contrário de gente que gosta de livros novos; eu gosto mesmo é de livro antigo... quanto mais amarelo, quanto mais cheirando a "antiguidade"... melhor!
Sabe? Meu pai era apaixonado por aqueles "livrinhos de faroeste", trazia pilhas e pilhas para casa... Eu lia todos... E sempre acabava primeiro que ele!
A cada livrinho que ele lia, colocava na capa deles, um (*) (esse símbolo era a "marca" dele!).
Minha mãe falava horrores desse hábito... mais porque eu lia junto com ele! E eram histórias muito pesadas: daquelas de tiros para todos os lados, vinganças muito bem elaboradas, mortes horripilantes... Amei essa fase de minha vida... Agradeço por cada dia que eu li essas histórias... me ensinaram sobretudo a não esperar muito das pessoas!
Depois ele ganhou "Seleções" bem antigas... "Devorei" a maioria delas...
Infelizmente, meu irmão em um "surto de loucura" colocou fogo em todas elas!
Sempre havia livros entre a gente. A gente competia para ver quem lia mais...
Sinto muitas saudades dele... 
Um dia fui chamá-lo para sair e ele dormia no quarto dele (ele e minha mãe dormiam em quartos separados) e ele dormia com um livro aberto no rosto. Gentilmente o tirei de seu rosto e ele ralhou comigo, dizendo que estava "lendo para dentro"...


Além de eu ter um pai desse quilate eu era sua "rapinha do tacho"... última filha... agradeço a Deus por cada dia que eu passei ao lado dele. Aprendi tantas coisas! 
Aprendi que Amor é para sempre! Meus pais dormiam em quartos separados, sim; mas nunca falaram em separação...
Ele era cabeça-dura, teimoso; mas eu reconheço em mim algumas desses defeitos.
Ele tinha uma paciência infinita com minha mãe. Até em suas explosões de raiva, ele tinha paciência com ela! (infelizmente não herdei essa qualidade dele!)



Esse texto é uma homenagem a meu pai! Ele faria aniversário na segunda-feira, dia 13/02! Faria 90 anos! O seu grande legado deixado para mim é o amor à leitura... aos livros... Agradeço a Deus por ter me dado um Pai como ele!


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

FALAR SOBRE GRATIDÃO - #52 SEMANAS DE GRATIDÃO



A postagem dessa semana vai ser diferente. Não vou falar sobre uma ou mais pessoas especificamente. Vou apenas discorrer sobre a gratidão em si.
Há muitas formas de falar sobre GRATIDÃO. Muitas mesmo. Seja com a alma... quando ela agradece, seja com os sentidos, quando se percebe a gratidão a "sair pelos poros"...
E através das palavras.
Quando se escolhe viver de gratidão e com gratidão temos que ter em mente que nem todas as pessoas são iguais, apesar de nascermos iguais.
Então o que pra você é um ato de gratidão, para outras pessoas não o são... infelizmente.
Observe a imagem acima (que ilustra essa postagem)... alguma frase nela te chamou a atenção? Essa frase me chamou muito atenção: Celebrar o que se tem (...) é uma bela forma de se agradecer.
O ser humano é um ser muito falho, imperfeito. Vive seus momentos intensamente ou simplesmente os deixa correr... Nem todos agradecem o que tem. Nem todos celebram o que tem.
E gratidão é apenas isso... Ao fim do dia, agradecer o que se tem, o que se conquistou. Não é tão difícil é?
Então porque quase nunca o fazemos? Já parou para pensar nisso?
Agradecer às pessoas, quaisquer que sejam elas.
Dizer "obrigado", "por favor", "desculpe", "eu errei".
Não é difícil. Mas quase nunca o fazemos.
Muitos são aqueles que dirão: "sou orgulhoso, não peço desculpas!" Pra que esse orgulho todo dentro de si? Não seria melhor despir-se desse falso conceito e vestir-se com a roupa da "humildade?
Não é errado perguntar quando não se sabe como proceder ou fazer. Errado, é fazer de sua própria cabeça, do seu jeito.
Não é orgulho admitir que "não sei fazer". No entanto, tem que ter disposição para aprender!
Não somos uma máquina, que possui todo o conhecimento do mundo.
Somos humanos, passíveis de erros, porque não há aquelas pessoas que detém "todo o conhecimento".
Nem um professor, um cientista, um pesquisador, um padre, um presidente da República, etc., que "sabem tudo".
O que eles sabem, aprenderam a fazer, a ler, a estudar... E como isso aconteceu? PERGUNTARAM, INDAGARAM, CONVERSARAM, DISCUTIRAM... Por isso é importante a GRATIDÃO... Não só para celebrar, mas também para AGRADECER!

Gratidão é isso! Agradecer sempre. Pelas boas coisas, pelas más, pelas doenças, pela saúde. Por tudo mesmo... Até pelas nossas quedas, pela tristeza, pela felicidade (que são momentos fugazes), mas que também devem ser agradecidos...


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

SOU GRATA... #52 SEMANAS DE GRATIDÃO


O post dessa  semana é para falar de muitas pessoas às quais sou grata...
Algumas das que vou falar aqui já se foram há bastante tempo, mas que de uma forma ou de outra, me fizeram muito bem ao coração...
Éramos, eu e ela, muito amigas... todo fim de semana estávamos juntas... festas, bailes (as baladas de hoje), até às tardes que passávamos na janela (a minha casa, dá para a rua...)... sempre juntas...
Sábado (28/01)  fez 15 anos... de saudades...
Eu fecho os olhos e vejo aquela negra de quase dois metros de altura, com um vestido minúsculo, aqueles "saltões" e aqueles "kanikalons"... às vezes escuto o som deles batendo no assoalho daqui de casa... (minha casa é bem antiga de tábua corrida...)
Meu irmão, a apelidou de "zagueirão"...
No mês de  novembro de 2001 tínhamos combinado tudo para o Reveillon...
Mas ela ficou doente antes e foi internada... "Nosso" Reveillon nunca se concretizou... Eu viajei logo em seguida e fiquei sabendo por uma pessoa que ela havia falecido... que a família dela queria que eu fosse ao velório... Não pude, não consegui...
Depois me contaram que ela foi enterrada com lágrimas nos olhos... Deixou dois filhos... Tenho um carinho tão grande por ela, carinho de irmã...
E a minha lista de gratidão é extensa... 


Quando lembro de que aprendi a gostar de "estorinhas" contadas, eu lembro de uma senhora, que morou do lado da minha casa. Era a avó de uma amiguinha de infância. Ela tinha a voz doce, a fala mansa, o dom de encantar!
Eu a via na rua, sempre com aquele caminhar lento e irregular, mas quando fiquei sabendo que ela tinha partido; a dor calou no fundo do meu coração... Eu passei uma semana, triste... escutando com os "ouvidos da alma" as muitas "estorinhas" contadas por ela! Ainda guardo na lembrança a fisionomia dela, D. Noca...



segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

MINHA AMIGA IRMÃ! #52 SEMANAS DE GRATIDÃO!


Esta é minha amiga Heloísa, sabe aquelas amizades que parecem antigas, tipo além de nossas vidas?
É assim que eu me sinto em relação a ela. Como se a conhecesse de muitos e muitos anos atrás... séculos até! Ela é aquele tipo de pessoa estabanada, que tudo lhe cai das mãos, damos muitas risadas juntas... Quando ela me chama para conversar, é como se eu soubesse o que ela vai falar, tamanha a sintonia entre nós duas. Ela é mãe solteira. Seu filho é lindo e tem nome árabe.
Houve uma vez que eu fiquei doente, e ela cuidou de mim. "Senta, que lá vem história"... Isso ocorreu em 2013. Tive outro episódio de Erisipela (que no popular, é chamada de "isipela"). Eu tenho problema de circulação na perna direita. Eu uso aquelas meias de compressão, receitadas pelo médico. Mas nesse ano, não pude usar... Abriram enormes feridas em minha perna. Fiquei internada 10 dias em um hospital e 15 dias no outro. (Nos primeiros 10 dias, quando uma enfermeira descuidada foi me examinar, seu estetoscópio bateu em meu tornozelo, causando uma ferida bem grande que necrosou tecido e que fedia muito!) Razão da minha segunda internação: raspagem do tornozelo, para tirar o tecido necrosado.
Quando voltei para casa, passei quase 2 meses de cama, não ficava em pé pq doía demais. Foi nesse tempo, que essa amiga virou minha "enfermeira". Literalmente. Ela dava banho em mim, na cadeira de banho pq não conseguia ficar em pé! Fazia curativos em mim... Dava banhos de flores e ervas para que as feridas se curassem mais depressa!


(Minha perna estava nesse estado... o pequeno orifício meio amarelo, foi onde eu raspei, para tirar o tecido necrosado!)

Passei o Carnaval e a Semana Santa na cama! As feridas eram cobertas com pomada e gazinha e enfaixadas até próximo ao joelho... Heloísa cuidou de mim com muito carinho... Tenho muita gratidão por ela! Minha amiga-irmã de vidas passadas!


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

IMPOR LIMITES ÀS CRIANÇAS... CERTO OU ERRADO?


Toda criança criada com limites entre o certo e o errado, torna-se um cidadão de bem... Já quando ocorre o contrário, a criança torna-se birrenta, manhosa, pirracenta. E quando cresce torna-se um adulto que se acha melhor que todo mundo; que adora ser servido. Pois que não aprendeu a ser humilde, não aprendeu a servir...
O limite, serve também de ponte entre o certo e o errado. Entre o direito e o dever. Entre a educação, os bons costumes e a deseducação, o palavrão (leia-se "palavras de baixo calão).
Conheço muitos casos de crianças, adolescentes e até mesmo adultos que não tendo limites em casa, cometiam todo tipo de abuso tanto na escola, como entre amigos e colegas, como em suas amizades!
A criança com limites aprende a cuidar de si mesma, a cuidar dos que ama e até mesmo dos amigos...
Ela tem deveres - arrumar o quarto, a casa, guardar seus brinquedos, dobrar suas roupas, lavar suas roupas, estudar... E sobretudo brincar... SER CRIANÇA!
E os direitos também precisam ser respeitados? Sim! Porque não adianta impor limites, impor condições, se os direitos delas não forem respeitados...
Esses limites precisam ser conversados. Uma boa conversa com as crianças e adolescentes pode ser uma boa saída para os pais ou os educadores e/ou responsáveis.
Educação se aprende em casa e se aprimora na Escola. Nunca ao contrário!

sábado, 14 de janeiro de 2017

A DÍVIDA PAGA COM JUROS... E CORREÇÃO... #52 SEMANAS DE GRATIDÃO

(Nessa foto à esquerda, minha tia...)

Hoje quero compartilhar um acontecimento que acredito, tem muito de gratidão, de paciência...
A irmã da minha mãe, é uma senhorinha independente... (sempre foi) e que sempre morou sozinha, desde que a minha avó faleceu em 2002.
De uma hora para outra, meu filho e meu irmão especial foram morar com ela (as despesas aumentaram consideravelmente). Ela nunca almoçou em casa, e sim em restaurante.
Ano passado no segundo semestre, ela sofreu um acidente e quebrou um osso da bacia... (foi uma fratura pequena, mas o médico recomendou 3 meses de repouso absoluto!)
Agora imaginem essa Senhorinha muito ativa, ficar presa em uma cama, e sem poder se mexer?
O resumo da ópera: ... fiquei 2 meses cuidando dela... Ia duas vezes ao dia em sua casa - manhã e noite - como pagamento? Meu dever de sobrinha... Ela é a única irmã de minha mãe... Depois de um mês de repouso, ela voltou a andar dentro de casa, fazer algumas coisas sozinha. Passou da cama para a cadeira de rodas, depois para o andador... (não fez os três meses de repouso,; fez 2...)
Hoje já voltou a ativa... Busca a marmita dela e do irmão, vai a missa, sai com as amigas...
Meu filho e meu irmão continuam com ela... Meu filho cuida dela... 
Eu, sempre que posso, vou lá visitar ela...
Ela queria me pagar para cuidar dela... não aceitei claro... ela me salvou muitas vezes, com dinheiro emprestado... e não me sentiria bem se ela me pagasse...
Deus pagou por ela... Com juros e correção...





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...