segunda-feira, 1 de junho de 2009

AINDA QUERO FALAR DE MIM!!!



Ainda quero falar de mim... só mais um pouco... sobre o que aconteceu ontem... uma pequena briga, aliás uma discussão sem sentido...e que ele transformou numa tempestade, talvez até mesmo num furacão! E que falei apenas por falar, sem ter nenhum sentido, nenhuma importância!
Um amigo dele chegou perto de nós e ele perguntou ao amigo onde estava a companheira dele. Esse amigo disse ao meu namorado que ela estava em casa. Que ele havia deixado a namorada em casa. Eu sorri meio debochado pro amigo do meu namorado e duvidei dele. A discussão já começou daí! Meu namorado disse que eu não tinha o direito de fazer isso. Não poderia julgá-lo só pelo que ele disse. Falei que não estava julgando ninguém, apenas duvidava da palavra dele. Aí o cara foi embora. Quando disse que iria analisar o problema e disse que o cara "por ser bonito"... descambou tudo... Meu namorado ficou furioso! Disse para eu tirar as mãos dele, que estava tudo acabado entre a gente... Para tentar demovê-lo falei somente que o cara não era mais bonito que ele... que era só uma análise e nada mais...
Não adiantou muito, mas ele acalmou-se um pouco. Para encurtar a história, voltamos as boas e está tudo bem.
O que eu não consigo entender é porque brigar por tão pouca coisa? Falei o que falei da boca pra fora! Não tem nada ver, discutir por tão pouco!
E pra falar a verdade, ele é diferente de todos os namorados que tive. E namorados, tive bem poucos. O resto foram apenas aventuras passageiras que nada significavam para mim!
Não sei porque, mas depois do que aconteceu comigo, via sempre homens com certa desconfiança, como se pudessem penetrar na redoma que criei para me proteger deles. Poucos foram o que conseguiram! E para mim, esses se tornaram especiais!
Sou uma pessoa triste, um homem me fez ficar assim, quando não acreditou em mim e me trocou por outra. A partir daí, decidi que não queria mais ninguém. Meus relacionamentos eram superficiais e sem sentido. Não conseguia amar ninguém. Me tornei "seca".
Um dia conheci um cara que achei que valia pena amar! Despi da minha barreira e o amei como nunca... mas enganei-me... Ele me magoou-me profundamente. E retomei a minha proteção.Encontrei na solidão, a companheira que eu precisava. Ela me acompanhou por alguns anos... Depois, mesmo protegida pela minha redoma, consegui um relacionamento meio morno, esse durou 3 longos anos, quando vi que não conseguiria "espremer leite de pedra"; dei um basta nele. Voltei para visitar a minha família e me vi sozinha de novo! Decidi dar um tempo. Meu coração estava magoado, ferido... E a minha companheira... essa estava sempre ali ao meu lado... nunca me deixava na mão.
A solidão... podia sempre contar com ela... Minhas lágrimas, sempre vinham me visitar... sempre quentes, a me reconfortar.
No Carnaval eu conheci uma pessoa, aliás, reencontrei uma pessoa. Fazia tempos que não a via. Ficamos juntos e ela sumiu. Pensei logo, "amor de Carnaval"! "Não tinha importância" - pensei. Mas dessa vez ela havia mexido comigo de verdade. Não sabia de que forma, até reencontrá-la. Ela fazia meu coração disparar, feito uma criança doida... Meu rosto queimava... Parecia uma criança boba ante ao seu presente preferido!
Encontramo-nos novamente mais 2 vezes. E na terceira resolvemos que teríamos um relacionamento. Um namoro, por assim dizer... Era o dia 28/03.
Fiquei feliz... E ao mesmo tempo infeliz... Eu havia marcado minha passagem pro começo do mês... Tinha que tomar uma decisão importante... Ficar ou não?
Fiquei... Por ele, por meu filho, pela minha mãe.
Então a gente foi conversar. Descobri que ele tem um sistema. Gosta de tudo certinho, do jeito dele. Nada pode sair errado, e meu jeito não pode ser levado em conta. Por mais que eu seja uma pessoa triste, sou espontânea, verdadeira, as vezes até demais... Falo as coisas sem pensar... mas não me arrependo das coisas que eu falo. Também não gosto das coisas certinhas demais... Nunca fui assim. Sempre fui a ovelha negra da família. Sempre a que tratavam mal. Que nunca trabalhou. Podemos dizer a rejeitada. Sempre me senti assim. Quando tinha meu pai aqui na Terra, ele ainda me protegia dos ataques. Depois que ele se foi, ficou pior. Quando fiquei grávida do meu filho, queriam me colocar na rua. Nem sei porque não fui. Meu irmão sempre bateu de frente comigo. A minha família infelizmente tem alguns que se dizem racistas. Como se a cor da pele, fizesse diferença para alguma coisa! Não ligam para a personalidade da pessoa. Querem apenas que eu namore um cara branco! E não pode ser pobre, porque não dá futuro pra ninguém! Escuto essa mesma ladainha desde que me conheço por gente!
Como sou a ovelha negra, faço tudo ao contrário! Odeio que se metam na minha vida! Cuidem da deles que é melhor! Me deixem em paz!
Meu namorado é diferente. Seu "sistema", como ele mesmo gosta de falar é diferente. E para que eu me adeque a ele, vai levar certo tempo. Mas ele quer sempre se impôr a mim. Sinto que ele quer que eu mude, que eu "raciocine". que eu meça as palavras antes de falar. Quer censurar minhas roupas...
Ao mesmo tempo tenta me proteger...
Não estou acostumada com tanta atenção... Em meu último relacionamento, não havia tanto sentimento assim. Era como eu falei, morno. Esse é intenso, vibrante, e isso me assusta! Tenho medo de entrar de cabeça e me magoar de novo! Acho que não aguentaria isso tudo de novo!


Foto: Google

6 comentários:

marie disse...

Mylla
Este seu blog está a ser o seu companheiro de "solidão"...
Pelo que você conta, esse relacionamento é demasiado repressivo!
Que tudo corra como deseja, mas não se deixe magoar de novo. Pelo menos faça por recuperar a alegria, porque sem ela a vida não faz muito sentido...
Beijo grande

Solange Maia disse...

Ouvi uma vez uma frase que nunca mais esqueci :
Uma relação ou é de ganha-ganha, ou é de perde-perde.
É duro, mas é real...
Pense como é a sua, e seja feliz !!!
A vida é bela !!

Adoro suas visitas no “Bebela em Conta-Gotas”, e passei por aqui para deixar um beijo carinhoso !!!

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

e também, no cantinho que você já conhece :
http://bebelaemcontagotas.blogspot.com

Sandra disse...

Tem selinho para vc. em curiosa.
Quanto ao amor apreoveite este..
Seja feliz.
Bjs
Sandra

Sandra disse...

Myla!
Quando a gente sai de casa muita coisa muda.
E quando amadurecemos muda ainda mais.
Temos nossas próprias raizes, jeitos, costumes.
Viver em familia depois de uma certa liberdade, não funciona mais.
Eles são maravilhosos para ir sempre visitar.

As vezes eu tenho vontade de largar as minhas por aqui.
Mas ainda não deu.
Quanto a minha familia de pais eu os amo muito. e estou sempre com eles.
Familia é muito importante para mim.
É um vinculo muito forte.
Mas quando se fala em Marido, as vezes é complicado. Eles muitas vezes se tornam muito chatos.
Da vontade de virar o balde.
Bjs.
Sandra

MEUS PENSAMENTOS disse...

OI MYLLA EU ESPERO QUE VC ENCONTRE A MEDIDA CERTA DESSE AMOR,MAS EU PORÉM Ñ CONCORDO COM ESSA IDEIA DO HOMEM CONHECER A GENT DE UM JEITO DEPOIDS QUERER MUDAR,QUEM DIISEQU ELES MUDAM POR NOS SÓ SE FOR NO COMEÇO PARA CONQUISTAR KKK!BJS!

Fatima Cristina disse...

Oi Mylla,

Acho legal você transformar o seu blog em consultório sentimental e nos deixar atuar como analistas!!!

Entao, vamos lá! Meu conselho:

Pense primeiramente em você. Você se acha feliz nesse relacionamento? Melhor com ele ou sem ele?
Depois pense no seu filho + relacionamento (seu filho vai - teoricamente - ser o seu elo de amparo num futuro longínquo..). O relacionamento funciona bem com a constelacao Voce+Ele+Filhö? Existe amor e respeito entre os envolvidos?
Se você respondeu "sim" mais de 2 vêzes, acho que as chances sao boas!

Pense nisso.

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...